A verdade dói.

Padrão

“I’ll tell you the truth about the truth: it hurts. So, we lie.”*

Eis uma frase, ou uma constatação, chame como você quiser, que eu escuto desde que me entendo por gente. A verdade dói. A VERDADE DÓI. E quer saber? Ela dói mesmo! Deus foi “O cara” quando não nos deu o poder de ler os pensamentos de ninguém. Senão, já pensou o caos que seria? Acho que ninguém ia conseguir se amar!!!

Mas, e a mentira? Na minha opinião, ela dói também. Quando ela é descoberta! Sim, porque (quase) toda mentira, uma hora ou outra, mais cedo ou mais tarde, acaba sendo descoberta. E, olhem só, quando acontece isso com uma mentira, ela dói ainda mais do que a tal verdade, viu? Porque é como se ela doesse duas vezes…

Então, se a verdade dói, mas a mentira dói mais ainda, porque é que as pessoas não falam logo a verdade umas pras outras? Falta de caráter. Covardia. Desrespeito, e por aí vai…

Eu costumo sempre dizer que meu maior defeito E minha maior qualidade são minha transparência. Quem me conhece, sabe como estou pelo meu olhar, e eu não consigo disfarçar (olha que eu até tento,viu?). Claro que isso não significa sair por aí destilando veneno em quem nada tem a ver com a causa da minha raiva/tristeza, muito pelo contrário. Nesse ponto, ao longo do tempo, consegui adquirir equilíbrio. Foi necessário treino e prática, mas…cheguei lá! Acontece que meu olhar, minha expressão facial me entregam fácil fácil…

Logo, por conta disso, sou uma pessoa que durante a vida toda procurou cultivar o hábito da não-mentira. ATENÇÃO: isso não significa que eu nunca tenha mentido, ou não minta. Claro que já o fiz, e ainda faço. Raras vezes, mas faço. Mas, taí uma coisa que eu detesto fazer, viu? E fico mal mal quando minto…me sinto culpada, com a consciência pesada…Como diria Renato Russo, “Um dia pretendo tentar descobrir porque é mais forte quem sabe mentir. Não quero lembrar que eu minto também!”

Eu confio demais nas pessoas. Em algumas, confio além da conta, até. E pra mim confiança é o tipo de coisa que independe do tempo: posso lhe conhecer hoje e já confiar em você como se fosse meu amigo há anos e anos. É, sim, eu sei, eu sei…sei que isso não é 100% certo. Porque me faz ser frágil demais. Me faz ser vulnerável demais. Me faz ser suscetível a (quase) todo tipo de gente.Talvez, por eu pensar e agir assim, por “n” vezes eu espero que as pessoas ao meu redor, em especial aquelas mais próximas e queridas, não mintam pra mim.  Mas, oh, que ilusão, não? Mas, oh, quanta ingenuidade, não? É…isso só seria real se eu vivesse num lugar chamado “O Fantástico Mundo da Ana Paula”. Como eu não vivo, vivo sim na Via Láctea, num Planeta chamado Terra, no continente sul-americano, mais especificamente num estado chamado Pará, numa cidade quente e úmida por demais da conta chamada Belém, isso dos outros não mentirem pra mim obviamente é uma coisa que não acontece.

E quando a tal da mentira é descoberta, eu sofro². É, assim mesmo: ao quadrado!

Como eu queria que as pessoas fossem honestas comigo. E transparentes! E me dissessem o que realmente pensam. Existem tantas formas de se dizer a verdade de uma forma não ignorante nem ríspida. Ouvir a verdade, especialmente quando ela é uma verdade não tão agradável, faz a gente crescer, evoluir.

Se você me acha incompetente, não me elogie pela frente e critique pelas costas: me fale onde você acredita que eu posso e devo melhorar.

Se você sabe que eu gosto de você, mas você não gosta da mesma forma de mim, não me iluda com gestos vazios, nem alimente um sentimento que pra você não tem importância. Isso é cruel! Seja sincero, e diga, com as palavras certas, que simplesmente não está interessado.

Se você acha que fiquei horrível com tal roupa, ou com tal cabelo, não dê um sorriso amarelo e diga que estou linda: sugira, de forma simpática, que eu mude a roupa, ou o penteado.

Qual é a graça, afinal, que há em enganar os outros? Que espécie de divertimento isso proporciona? E se fizessem isso com você, como você reagiria? Ou, melhor, como você reagiu quando descobriu que tinham feito isso para você: lhe enganado, ocultado, omitido, mentido descaradamente…? Sim porque todo mundo já passou por esse tipo de situação pelo menos uma vez na vida. Foi bom pra você? Não foi não, né? Você provavelmente chorou, e não foi pouco, estou certa? Você, possivelmente, teve vontade de quebrar tudo o que via pela sua frente, ou de bater no primeiro que lhe dirigisse a palavra, ahn? Pois então…lembre-se disso na próxima vez em que pensar em mentir pra alguém, fazendo-a de boba. Porque eu, com certeza, vou me lembrar das vezes em que me fizeram sentir assim. E, por isso, vou me esforçar ainda mais pra continuar sendo verdadeira. Afinal, mesmo doendo doendo doendo, eu prefiro a dor da verdade dita do que a da mentira descoberta!

*Vou lhe dizer a verdade sobre a verdade: ela dói. Então, nós mentimos.

PS: Escrevi esse texto há um tempo atrás, mas tinha deixado “de molho”…

Anúncios

»

  1. Então…a de se respirar fundo pra ler seu blog hein…
    Muitas questoes…
    Acho que um dia já fui assim…
    Vc tem razao em tudo que escreveu…mas as vezes…é mais facil ser covarde para as pessoas…
    Acho que é isso…
    As pessoas tem medo de perder, de ficar sozinhas, por isso muitas vezes…mentem!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s