Meu querido diário

Padrão

DA SÉRIE “MEU QUERIDO DIÁRIO”:

querido-diario

O dia de hoje foi…estranho. Como, aliás, todos os meus últimos dias tem sido. De manhã, meu despertador resolveu grevar (mais uma vez!!!) o que me fez acordar em cima da hora pra ir trabalhar. Detalhe que eu precisava acordar mais cedo para ir ao médico (consulta que perdi na sexta, por causa do acidente). Ah, diário, ainda não te contei do acidente, né? Então…na sexta-feira,eu tava voltando do trabalho e ia dar uma passadinha em casa antes de ir ao tal médico. Mas o trânsito estava infernal (novidade!!!!). Eu seguia no carro, ouvindo o CD Parachutes, do Coldplay, no volume 30 do rádio (e olha que o volume 30 do meu som é alto pacas!), na maior tranquilidade pra enfrentar o engarrafamento. Paro calmamente atrás de um caminhão sucatão, em plena BR-316, sentido Ananindeua-Centro. Quando sinto um TRANCO horroso no meu carro, e um barulho de dar medo. Nisso, o cinto me prendeu, mas meu pescoço e cabeça foram mirando o volante (o que me rendeu um pequeno corte no canto direito da testa). Levaram alguns segundos até eu entender o que tinha acontecido: um maluco me bateu por trás, na maior, sem ter nem a ver, pois, aparentemente não havia motivo para tal, afinal, estávamos engarrafados (depois ele me contou que tinha acelerado para passar o farol amarelo, mas depois a pista estava molhada e ele não conseguiu frear a tempo, e me atingiu). Menos mal que eu não estava tão colada no tal caminhão-sucatão, então, meu carro foi jogado um pouco pra frente, mas não chegou a bater no caminhão-sucatão. Preciso dizer que saí BUFANDO do carro, pra ver o IDIOTA que tinha me atingido??? Não, né?! SÓ QUE, quando desço, vejo que o tal idiota, apesar de idiota (ok, depois eu vi que ele nem era tão idiota assim! rsrsrs) era lindo! E mais: su-per gentil! (CONFISSAO: nenhuma aliança na mão esquerda nem na direita! rsrsrsrs) Ele ficou totalmente desconcertado, não sabia nem o que me dizer direito, assustado com o sangue tava escorrendo do corte na minha testa, enfim, um fo-fo! E eu???? Ah……respirei fundo, deixei passar o impacto dos primeiros 5 segundos, e me fiz de brava, né?! rsrsrs Não consegui localizar meus pais (novidade!), pra irem me socorrer, e o gatinho (que depois descobri que se chama M.) insistiu em me levar ao hospital. Liguei pro meu mecânico, que não estava tão longe do local do acidente, em poucos minutos chegou lá, levou meu carro amassadinho pra oficina, e eu segui pro hospital, onde passei o resto da tarde, e o M. tb. Dormi bastante, por causa dos remédios fortes, e ainda por cima estava triste, pois meus pais, em certos momentos, justamente nos que eu mais preciso deles, eles parecem sumir do mapa! Enfim…M. só saiu de lá quando me liberaram, já de noite, e veio me deixar em casa. MOMENTO MICO: eu saindo descalça do hospital, pois estava de saia, blazer e salto alto, mas tive que descer do salto, por causa da eventual lesão no pescoço! =P Muito educado, M. se responsabilizou pelo conserto do carro (ok, isso era o mínimo que ele podia fazer mesmo), e confesso que até então, eu não sabia se ele tava me tratando daquele jeito apenas por ter medo deu ser advogada, e por remorso de ter me batido e de repente ter acontecido algo mais grave comigo o que, por sinal, não aconteceu, apesar de eu ter ficado 3 dias seguidos inteiros com MUITA dor de cabeça o tempo todo (no dia seguinte, retornei ao hospital, pois não aguentava de dor) e dores por todo o corpo, em especial pescoço, coluna, e uns hematomas no peito e no quadril em consequência do cinto de segurança. Até aí, eu estava na dúvida……mas quando ele ligou no sábado, no domingo e hoje, a dúvida que eu tinha foi pro espaço! MAS, isso são cenas de eventuais próximos capítulos, querido diário, e não é o que eu realmente queria te contar hoje.

VOLTANDO PRO COMEÇO….

Totalmente sem fome pela manhã, e sem carro pra ir pro trabalho, tive que recorrer a uma carona do meu pai, fazer o quê, né? Me senti quando estudava no colégio, e ele ia  deixar eu e minha irmã de manhã cedo, às 7h, todos os dias, na frente da escola, ouvindo Roberto Carlos pelo caminho! rsrsrs No trabalho, nada grandioso nem complicado demais para resolver (ufa, ainda bem!), enquanto minha cabeça bombava de dor, e uma cólica básica começava a aparecer, de quebra. Na semana passada, trabalhei demais e resolvi todas as pendências do setor, o que me fez ficar deveras livre na segunda-feira, mesmo estando com duas baixas na minha equipe (um foi demitido e a outra está numa espécie de licença maternidade). Passei boa parte da manhã caçando músicas “techno-brega” pela internet, porque meti na cabeça  e convenci a turma a irmos a uma festa de aparelhagem no findi que vem, e eu preciso me interar do que toca nesse tipo de festa! Voltei cedo (15h) pra casa, almocei e minha mãe veio me apanhar pra ir no shopping. Isso nos rendeu um tempo gostoso, fazia tempo que não fazíamos isso…depois, ela me emprestou o carro e eu fui pro tal médico.

Aqui, diário, você vai me desculpar, mas eu não quero entrar em detalhes nem com você. Na verdade, só uma pessoa no mundo sabe o que tem se passado (amanha esse número irá aumentar para 3 – sem contar com a médica, né?!), e já tem sido uma barra estar tendo que enfrentar essas coisas meio que sozinha…Só o que posso dizer é que as notícias não foram muito animadoras, infelizmente, e que os próximos episódios dessa minha vida que mais parece um seriado de TV certamente serão cheios de suspense e drama. Ai, diário…saí do consultório mal, desanimada, triste, preocupada…chovia demais na cidade (oooooutra novidade!!!!), a Colbie não parava de cantar Dreams Collide, no carro, e minha cabeça não parava de doer, e eu não parava de querer chorar.E então, no meio da chuva, desviei o caminho, peguei uma via com tráfego menos intenso, e dessa vez quem parou fui eu. Parei no acostamento. Porque era só o que eu podia fazer…na verdade, eu queria ter podido parar com tantas outras coisas que tem me acontecido e que tenho vivido nos últimos 6 ou 7 meses…queria poder parar com a dor, com a dúvida, com os receios, com os anseios, e com taaaantas outras coisas mais! Eu confesso que não tem sido nem um pouco fácil olhar pra trás e ver que minha vida tomou um rumo absolutamente diferente daquele que eu havia planejado nos últimos anos. E foi assim, de repente. Por decisao minha, por escolha minha, isso é verdade. Escolhas e decisões, aliás, das quais não me arrependo nem um milímetro, não canso de repetir. Ainda assim, é ruim demais lidar com esse sentimento desgraçado que é a frustração, ainda mais se você for uma pessoa perfeccionista como eu sou. Tá, também não quero ser injusta…nesse tempo, coisas muito legais também aconteceram: eu refiz laços de amizade que estavam desfeitos; conheci gente nova e muito legal, saí pra caramba, dancei horrores, me diverti como havia muito eu não fazia, tenho viajado bastante, tenho progredido profissionalmente, aprendi muita coisa nova, em todos os sentidos, vivi experiências que nunca tinha vivido, realizei alguns sonhos, me apaixonei e vivi isso com toda a intensidade que pude, enfim…mesmo assim, mesmo com tudo isso, não tem sido fácil me readapatar a minha própria vida, que nos últimos anos, já nem era mais tão minha assim, e que eu decidi tomar de volta. Sabe que, pensando bem, isso não é ruim não, muito pelo contrário,…e que talvez eu seja só uma menina boba que reclama de tudo e que ao invés de sofrer e choramingar, devia estar aproveitando seus vinte e poucos anos, enquanto os vinte ainda estão por aqui, pois daqui a pouco já chegam os trinta, e com eles, são outros quinhentos…

Mas,fazer o que se sou mesmo dramática, emotiva, emocional e sensível por demais?? Quem mandou nascer dia 10 de março e ser pisciana, ora bolas! Daí, voltando ao carro: eu parei no acostamento. E sabe quando você tem vontade de sair, no meio da chuva, andando meio sem rumo, e aproveitando os pingos da chuva pra disfarçar as lágrimas que caem do seu rosto? Pois é…foi isso que fiz! Por alguns minutos(não foram tantos, mas foram suficientes), eu parei! Parei, mas caminhei. Parei, mas segui. Foi como se a minha vida e todo o resto do mundo, naqueles breves minutos, estivessem em PAUSE, e só eu continuei no PLAY. Então, voltei pro mundo real, onde eu não podia mais ficar parada, entrei no carro e tive que prosseguir. Não sei pra onde, mas estou prosseguindo…(digo isso no sentido figurado,né? pois é óbvio que eu sabia pra onde tinha que ir:devolver o carro à minha mãe. Mas, isso você entende, né querido diário?! Muito bem, você é um diário inteligente!!!).

Chegando em casa, ainda tive que ter cabeça para resolver contas com meu pai, e ouví-lo falar da briga que teve com a namorada! Pra completar esse dia “tão perfeito”, comecei a ficar com febre. Assisti a novela, pra ver se me esvaziava um pouco, e depois tive alguns minutinhos de prazer vendo o Patrick Dempsey no programa da Hebe (já te disse que sou apaixonada pelo Mc Dreamy, diário? Não??? Sou apaixonada pelo Mc Dreamy!!!). Nessa hora, recebo 5 inconvenientes ligações (que não atendi, é claro!!!) de um ex-rolo do ano passado (ele foi meu famoso rebound guy) que provavelmente é o cara mais safado que eu já conheci em toda a minha vida, e depois um SMS dizendo que “sente saudades” e que “quer me ver”. Eu não disse??? Safaaaaado! Ahn rã, seeeeiiiii! Como diria Zezé, “tapa na cara, é o que você vai terrrrrr”!!!!! kkkkkkkk

Depois, mesmo mole da febre e com dor de cabeça, fui alimentar meu vício de Farmville enquanto batia papo no MSN e escrevia esse texto aqui.

Agora, vou dormir porque tomei Cizax e em menos de 20 minutos ele faz meus olhos se fecharem involuntariamente.

Aguarde, diário, as cenas dos próximos episódios da minha vida…M. continuará ligando? Eu o atenderei? O que irá rolar, afinal???  Como será a tal festa de aparelhagem? E o mistério médico, o que será??? O safado ira se tocar ou continuará sendo cara de pau e ligará mais?

Só prosseguindo, pra saber a resposta a essas perguntas…

Boa noite, diário!

*CLICK*

OBS: Ahhhhh!! Já ia esquecendo de te contar uma coisa importantíssima, diário!! Eu estou enjoada do meu cabelo! Você sabe que eu só estava deixando ele crescer por causa do casamento, e que logo depois que voltasse da lua de mel, iria cortá-lo. Pois bem, não teve casamento, muito menos lua de mel, e assim que desmanchei o noivado, disse que a primeira coisa que faria seria tosar as madeixas, mas já se passaram 7 meses e nada! Pois bem, acho que chegou a hora! Se tudo der certo e eu criar coragem, amanhã passo no salão, e o salão passa a tesoura em mim! Depois te conto e mostro como ficou!

Anúncios

Uma resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s