Arquivo da tag: bom

O texto sem título.

Padrão

Broken-heart-b

É…tem tido uma sequência de posts bem depressivos e baixo-astral aqui no LIVING LA VIDA NUEVA (quem me conhece, entende o porquê desse título do blog). Inclusive, em relação ao post passado, uma pessoa, que por sinal acabou se tornando alguém muito especial pra mim nos últimos meses, me disse que nem todo dia frio e chuvoso é triste. Eu entendi o que ele quis dizer, mesmo porque eu adoro o frio e também adoro a chuva (até já escrevi sobre isso aqui)…mas é que com os recentes acontecimentos da minha vida, tem sido um pouquinho difícil (re)agir de outra maneira. Ao menos eu sei que tenho a (grande) vantagem de não descontar minha raiva/frustrações/tristeza nas pessoas ao meu redor. Trato a todos bem, isto é, como merecem ser tratados, com respeito, educação, etc…Talvez até, quem não me conheça, me veja sorrindo, conversando e brincando naturalmente e acha que está tudo absolutamente bem comigo. MAS, de quem me conhece de verdade eu não consigo disfarçar, e eu nem sei como…e é nesse sentido que eu sempre digo que sou uma pessoa transparente…quem me conhece, identifica pelo meu tom de voz, pelo meu olhar, e pelo meu silêncio (costumo ficar muito mais calada quando estou chateada/aborrecida) que algo não vai bem. E é assim que tenho andado já tem algum tempo, acho que principalmente de uns 2 meses pra cá.

Um dia um amigo me disse que ficava espantado com como eu podia ser pessimista e sempre pensar no pior. PARÊNTESES – sei que tás lendo isso aqui,é, tu mesmo!! e sei que sabes que é de ti que eu tô falando – FECHA PARÊNTESES. Sabe o que é mais interessante? É que eu até arriscaria a dizer que ele é a pessoa que melhor já me conheceu, de todas as pessoas!! Porque desde sempre, quando eu tô com ele, eu sou quem eu realmente sou. Exponho minhas idéias, conceitos, pensamentos medos, etc…talvez seja por isso que a gente briga tanto…rsrsrsr. Mas então, voltando ao assunto, ele sempre dizia que eu era muito pessimista e que sempre que havia determinada situação, eu teimava em pensar no pior! Eu me defendia, dizendo que não era pessimismo e sim realismo. Na verdade, eu tinha muito receio de ser otimista. Tinha muito receio de esperar pelo melhor, e quando o melhor não acontecesse, eu entristeceria. Daí, num mecanismo de auto-defesa, preferia pensar pelo “mais provável” de acontecer (o que, segundo esse meu amigo, era na verdade a pior coisa que podia acontecer). Até hoje, eu não sei dizer quem tem a razão: se eu ou ele. Honestamente, eu não me vejo como uma pessoa pessimista porque pessoas pessimistas geralmente não tem esperança nem confiam em ninguém. E eu confio nas pessoas. Aliás, eu diria que eu confio muito nas pessoas. Confio demais, até! E talvez exatamente por essa confiança excessiva é que eu acabe me frustrando/decepcionando em demasia. Quanto mais se espera dos outros, mais você se machuca. Se você não espera nada das outras pessoas, o que vem é lucro. Queria saber agir assim…queria saber ser assim…mas ainda não consigo. Quem sabe, um dia né?

Pra terminar, a mesma pessoa que me disse a frase da qual falei lá em cima, também me disse que fazer uma lista das coisas boas que temos e que nos cercam ajuda a espantar a tristeza. Bom, eu já fiz algumas listas aqui nesse blog (basta ver os posts passados). Inclusive, uma dessas listas foi feita por causa justamente dessa pessoa que me disse isso agora (ironia!! rrsrsrs).

Agora agora agora agora, nesse exato momento, não tenho o menor ânimo pra fazer lista de coisas boas, muito embora eu saiba que há sim, um tanto delas na minha vida. Mas é que, sabe essa velha mania que o ser humano tem de se ater muito mais aquilo que ele não possui do que aquilo que ele tem? Pois é! Eu tenho 597 mil coisas boas e legais e bacanas na minha vida. Mas ando tão “blah” que capaz de, se parar agora pra fazer a tal lista, só o que vou conseguir enxergar serão as 597 coisas ruins do meu momento. É…eu sei…sou chata, fresca, boba…mas, fazer o quê? O máximo que posso fazer é prometer, a quem interessar possa, que vou continuar me esforçando a cada dia que amanhece para que esse meu estado mude. E, assim, talvez essa lista de coisas boas acabe saindo mais rápido do que eu poderia imaginar.

Vamos ver o que acontece, então?

No aguardo…

Anúncios

-X+X=0

Padrão

É interessante como na nossa vida, pra gente saber que o doce é bom,precisa conhecer o amargo.Pra se sentir prazer e saber que o prazer é prazer, tem que saber como é o desprazer. Como saber se algo estão são,se não houvesse a dor para nos alertar daquilo que não está são?

Meu ponto aqui é que, (in)felizmente, na vida, temos os positivos e os negativos.Não existe exatamente uma regra no que se refere a quantidade equivalente de cada. O princípio “A cada +, 1 -.” certamente não vale. Mesmo porque,por quantas e quantas vezes vivemos momentos rodeados de negativos, sem positivos alguns por perto?!

Tô falando tudo isso porque ontem o meu dia foi extremamente positivo em um sentido.Mas, em outro, absolutamente negativo.

Pela manhã, foi super corrido.Várias questões a serem resolvidas e raciocinadas no trabalho.Pra ter noção,desde a porta começaram a me abordar com dúvidas, isso por volta de 8h30 da manhã, e só consegui sentar na minha mesa lá pelas 10h.Depois, reunião com o chefe.Longa…diversas coisas a serem mudadas, melhoradas, transformadas, reestruturadas.Eu?Supervisionando tudo.São desafios novos, e eles me agradam, e muito!Vivo hoje o melhor momento da minha ainda não tão longa carreira jurídica, e tudo aconteceu bem rápido, considerando as responsabilidades que eu tinha quando comecei a trabalhar onde estou e as que possuo agora,com uma equipe de outros 4 advogados (alguns até + experientes que eu) e uma estagiária muito querida, todos debaixo de minhas orientações.Confesso, inclusive, que ainda não sei lidar ao certo com isto.Mas isso é asunto pra outro post. Desnecessário dizer que todas estas coisas são o Positivo,correto?

Pois bem.

Já no final do dia, quando pensava que tudo ia acaba bem por estar bem…sento a mesa com meu noivo.Objetivo? A famosa DR (discussão de relação,pros leigos).Iniciada por ele, diga-se de passagem.Em suma,a crise que me acorreu a 3 meses atrás e que me fez adiar o casamento que estava marcado para daqui a exatos 55 dias.Ao longo destes 3 meses, tentamos superar os problemas,tivemos longas e dolorosas DR’s,regadas a inúmeras lágrimas,a maior parte, minhas, mas com algumas dele também.Não foi difícil concluirmos que,do jeito que está não dá pra continuar, e muito menos casar.E se já tentamos acertar e não conseguimos, o único próximo passo humanamente possível é o ponto final.As diferenças entre nós 2 são abissais.Fora todas as outras questões que acabaram nos conduzindo ao agora.Fomos maduros para resolver o fim,pelos menos até agora,mais até do que imaginei que seríamos.O fim ainda não é oficial,mas sei que não custará para sê-lo.Então,no caminho de volta pra casa,sozinha, olho pro lado e vejo o Negativo ali.

Então, refletindo sobre tudo isso, lembrei de uma equação: -X+X=0. O Positivo e o Negativo,por si só, se anulam.E o que resta, é o Neutro. Ou o Vazio, para ser preenchido, novamente…