Arquivo da tag: ELA

Uma história comum.

Padrão

diario-da-nossa-paixaoNum dia comum, uma garota comum conheceu um cara comum. Era tudo ordinário, corriqueiro. Nada que chamasse, ou que merecesse atenção especial. Pelo menos,era isto o que ELA imaginava.

No dia seguinte, um telefonema. Minutos Dezenas Centenas de minutos ao telefone…uma ligação que parecia não ter fim, e ao mesmo tempo, ELES nem sentiam o tempo passar (como, num futuro não distante, saberiam que seria sempre assim quando estivessem juntos)…Alta madrugada já quando ELA, assustada, vê a hora avançada, próxima do raiar do sol, e então, pede, mesmo sem querer, para desligarem.

Aquele telefonema transformou-se em outro, e mais outro e mais outro. Ligação do “Bom dia!”.

Ligação do “Você já almoçou?”.

Ligação do Você já está em casa?”.

Ligação do “Só liguei pra te dar boa noite” que se transformava em mais inúmeros minutos noite e madrugada adentro……

Mensagens trocadas ao longo do dia, cheias de carinho.

Em poucos dias,tinham a ilusão de se conhecerem como ninguém.Muito embora tivessem se visto pessoalmente apenas uma vez.

ELA passava por um momento delicado em sua vida.Saindo de um relacionamento sério e “estável”.E sem querer,mas querendo, sem se dar conta,mas se dando, ELA foi se apegando…e ELE, entrando…de fininho, de mansinho, como só ELE seria capaz de fazer.Era o ombro amigo na hora certa. Era o “pai” cuidadoso e que pegava no pé. Era o “irmão” que a fazia rir e se lembrar de como a vida era boa assim, daquele jeitinho.

ELE queria vê-la de novo. E logo. Ligava. Pedia.Implorava,até! ELA?? Queria também. Muito. Mas…temia. Temia pelo que poderia vir a acontecer, pelo que poderia vir a não acontecer…temia,simplesmente.

Não demorou muito, ELA decidiu e foi. Foram…E ELES se viram, e se abraçaram, e se beijaram, e andaram de mãos dadas, e ficaram calados, abraçados, olhando a água e sentindo o vento bater…

O beijo dele? ELA logo veria que não conseguiria resistir….

Um dia depois, a saudade começou a doer tanto…e um novo encontro aconteceu. Com chuva! Distante! Na beira da praia!! Insano, mas inesquecível.

Depois disso, paixão declarada. Como poderiam negar? Ou esconder um do outro?? Sabiam que não fazia muito sentido…não da forma como tudo estava acontecendo…mas, quem foi que disse que as coisas tem que fazer sentido na vida, para darem certo?

Paixão. Desejo. Saudade. Tesão. Carinho. Aconchego. Confiança. Amizade!

Porém (como toda boa história, esta também tem um), as coisas não eram assim tão simples quanto aparentavam ser…nem pra ELE, nem pra ELA. Daí, a dor começou a aparecer. E as complicações. E os problemas. E as perguntas.

ELA, dividida e confusa, apesar de envolvida e já apegada. ELE, apesar de apegado e envolvido, confuso e dividido.

O maior medo dela, dentre todos os outros medos, era o de perder o GRANDE amigo que ganhara.Pessoinha especial demais, incomparável, a qual, quisera ELA, pudesse sempre ter por perto.Havia entre eles uma ligação difícil de se ver por aí, nos dias de hoje……

Acontece que, ELA sabe, tem horas em que a razão precisa falar mais alto que a emoção. Senão, que diferença faz ser humano?

Assim, depois de alguns acontecimentos um tanto quanto problemáticos, emblemáticos, traumáticos, ELA sabe que a coisa mais sensata a ser feita é dizer “Adeus”, muito embora sua alma relute exageradamente em fazer isso. Só o Imaginar já é dolorido, quanto mais o Fazer??……”Como ficar sem ELE?”, ela pensa. “Como não ter seus beijos? Como não receber suas ligações com imensa alegria no rosto?Como não sentir tanta saudade e ao mesmo tempo tanta satisfação em poder matá-la, ao se encontrarem? Como não ouvir a sua voz, tão amável e querida? Como não sentir o toque macio e quente de suas mãos ao lhe envolver? Como achar graça nos seus dias tão simples, ordinários e comuns, sem ter ELE por perto?

Mesmo assim, com todos esses “Como” gritando dentro de si, ELA sabe o que deve fazer. E nesta hora, inevitável é que as lágrimas rolem em seu rosto…Dói!

Ao telefone:

ELA (depois de meia hora de ligação,na porta do cinema) – Preciso ir…já perdi meia hora de filme.

ELE – Ah tá…que filme vais ver mesmo?

ELA (querendo muito que ele notasse que na verdade isto não era apenas o nome do filme,mas o que ela de fato queria poder dizer naquele momento,muito embora soubesse que talvez não fosse capaz de cumprir) – Te amarei para sempre.

ELE – Repete…

ELA – Te amarei para sempre

ELA, então, entra na sala de cinema…mas passa  a hora e meia seguinte sem conseguir pensar em nada que não fosse ELES DOIS. E no que ELA teria que fazer, depois do feriado e das viagens, quando se vissem novamente.

ELE choraria, ELA sabia. E naquele momento, não havia nada que  cortasse mais seu coração, do que vê-lo chorando.E ELA, pensava, “quantas lágrimas derramarei até que este aperto saia do meu peito, e que a dor passe?” Dias…meses…anos…..quem pode responder??

Buscando consolo e alento, ELA imaginava se um dia ao longo dos caminhos e descaminhos da vida, os seus caminhos se cruzariam novamente. Quem sabe?? ELA, certamente não…pois, só o que ELA sabe é que ELA jamais veria o rio, aquela praia na chuva ou iria aquela sorveteria sem que ELE estivesse em seu pensamento. E isto, pode passar o tempo que for……