Arquivo da tag: feliz

Apaixonei!

Padrão

Heart_Full_of_Stars_by_silverbeam Então, galerinha…acontece que eu me apaixonei. É, isso mesmo…! E sabe o que é mais interessante e intrigante? É que tudo aconteceu meio que do nada! Quando eu menos esperava…quando eu menos imaginava e, pior, quando eu menos queria!

Ainda estava machucada, ferida doída, magoada…estava me recuperando, me reconstruindo, juntando alguns cacos do meu coração, dando um descanso pra ele, e pra mim também. Estava centrada em mim, focada na minha profissão, pensando em apenas curtir a solteirice, a liberdade, e sair e me divertir e conhecer gente nova, e curtir os amigos e a família, porto seguro para todas as horas…mas, daí, BOOM!!! Aconteceu!

Num domingo qualquer, numa festa qualquer, ao som de um reggae qualquer…eu bem que tentei resistir, me fechar, não romantizar…mas, não deu! Foi mais forte que eu! Quem, em pleno século XXI e aos 28 anos de idade ainda é pedida em namoro, como se fosse uma menina sentada no banco da escola na hora da saída?? EU!! =) Não resisti ao pedido, e disse SIM! Não resisti aos carinhos, aos abraços, aos telefonemas inesperados, às declarações, às surpresinhas…O melhor de tudo issoé que eu estou bem e feliz, como já fazia um tempo que eu não me sentia! Calma, tranquila…mesmo com os outros problemas que insistem em rodear nossa cabeça, afinal, a vida não é perfeita não é mesmo? Mas, quando se tem alguém do seu lado com quem você sabe que pode contar, que é seu cúmplice e que também te dá colo quando você precisa, confesso que enfrentar os tais problemas é bem mais simples.

Não vou dizer que ele é perfeito, porque não existe ninguém assim, e eu já passei da fase de acreditar que existem príncipes encantados. Mas que ele tem (quase) tudo o que eu quero e gosto em um homem, ah, isso ele tem…!

E…é isso!

QUE SEJA ETERNO, ENQUANTO DURE! =D

Anúncios

A menina-mulher

Padrão

Era uma vez (porque toda história – ou estória – que se preze deve começar aLittle_girl_and_her_balloon_by_AlexandriaRainessim) uma Menina.

Essa menina era bem branquinha,magricela mas bochechuda e tinha os cabelinhos encaracolados (estranhamente, com o passar dos anos, eles foram ficando lisos). Ela era deveras inteligente. Tanto que, quando começou a estudar, com 4 anos, as professoras quiseram logo alfabetizá-la. Mas a mãe da Menininha, muito sabiamente não permitiu. Ela não queria que sua linda e fofa menininha queimasse nenhuma fase de sua vida.

A Menininha teve uma infância muito, mas muito feliz mesmo. Ela tinha tantos amiguinhos na rua em que morava, e eles sempre gostavam de brincar com ela. A casa dela era o ponto de encontro da Meninada toda!

Na escola, a Menininha também fazia muito sucesso com os outros Menininhos (muito embora ela até hoje não entenda ao certo o porquê disso, pois ela se achava uma Menininha tão…normal).

Ao longo dos anos, a Menininha mudou de cidade várias vezes, em função do trabalho de seu pai. Nasceu em Cuiabá, no Mato Grosso. Mas morou em Manaus, no Amazonas, em Belém, no Pará, em Brasília, no Distrito Federal, e sempre sempre estava indo e vindo de São Paulo.

A Menininha amava dançar, e ela fazia isso muito bem. Pelo menos, assim todos diziam. “Seu rosto brilha quando você dança!”, ela ouviu do seu coreógrafo um dia.

Esta Menininha já quis ser tantas coisas: primeiro, ela quis ser caixa de supermercado porque pensava que todo aquele dinheiro ficaria pra ela!!! É…ela era assim, tão ingênua! Depois, ela quis ser dentista, cientista, filósofa, arqueóloga, processadora de dados. MAS, acabou virando advogada, muito embora hoje ela saiba que deveria mesmo é ter sido médica veterinária.

Por 3 vezes, a Menininha quase teve 3 irmãozinhos(as). Mas, foi apenas quase. E ela sempre ficava tristinha quando o “quase” não se realizava. Porém, ainda assim ela teve sorte de ganhar uma irmã “emprestada”, uma outra verdadeira, quase da mesma idade, e, mais recentemente, um irmãozinho por quem ela é apaixonada!

Ela, na verdade, era uma Menininha normal, igual a qualquer outra menininha. Ou, pelo menos, assim ela pensava ser. Ela gostava de sorvete, chocolate, escrever no Diário, pular amarelinha, brincar de Barbie. Sonhava com o futuro, com o seu futuro…

E o tempo foi passando, como não poderia deixar de ser. O presente foi tornando-se passado e o futuro, tornou-se presente. E a Menininha já não era mais  tão Menininha assim. Ela foi virando Mulher. E, também como não podia deixar de ser, a Mulher acabou levando algumas coisas de dentro da Menininha. Um pedaço considerável da ingenuidade. Um pouco da inocência e do brilho. Alguns acontecimentos na vida da Menina-Mulher deixaram ela bem triste, e em alguns momentos ela até chegou a querer morrer, muito embora jamais tenha dito isso a alguém. Mas, ela nunca se entregou. Ela sempre resistiu. Acho que pode-se dizer que essa Meninha-Mulher é uma lutadora. Porque ela nunca se conformou em ter tudo em suas mãos, ela sempre gostou de correr atrás, de conquistar. E, nas dificuldades, muito embora ela se deixe abalar por alguns momentos, afinal, ela é humana, ela não pára. Ela escolhe respirar fundo, erguer-se, levantar a cabeça e continuar caminhando em frente…

Até hoje, 28 anos depois, a Meninha-Mulher adora ouvir seu pai contar como foi o dia em que ela nasceu. Seus olhos se enchem de lágrimas, e ela fica com um nó na garganta.

A Menina-Mulher, atualmente, já não sonha com coisas tão grandiosas.Ela quer apenas uma casinha simples, modesta mesmo, onde ela possa ter conforto e tudo que lhe seja necessário. Não quer ser rica, isso definitivamente não lhe faz a cabeça. Ela apenas quer viver bem, e com uma folguinha pra poder viajar e de vez em quando fazer umas estripulias tipo pagar caro num ingresso pro Cirque du Soleil. Mas, acima de tudo isso, mais do que essas coisas, ela quer ter um alguém com quem possa dividir sua vida, suas coisas, seu tudo. Ela quer ser de alguém, e quer ter alguém também, pra si.Isso teria o poder de tornar sua vida perfeita para ela.

Ela já amou. Muito. E ama. E ela sabe que já foi amada. E ainda é. Muito! Mas, sente que ainda falta alguma coisa…

Essa Mulher tem buscado nunca deixar a Menininha de antes morrer dentro de si mesma. Pois, a Menininha é tão cheia de esperança, de brilho, de luz, de vida!!!

E, muito embora hoje ela não tenha ainda tudo com o que sonha, ela sabe que possui muito mais do que merece…e ela é feliz, feliz demais por causa disso, apesar de tudo…!

Esta é a história da Meninha-Mulher.

E essa Meninha-Mulher, sou EU!

SONHO*

“Eu era uma menininha sozinha no meu mundinho, que sonhava com uma pequena casa pra mim.
Eu representava fingindo entre as árvores, e carregava cascas e folhas para minha casa de hóspedes, e dava risadas na minha linda cama verde.

Eu tinha um sonho
De que eu poderia voar do balanço mais alto

Eu tinha um sonho

Longos caminhos no escuro através de madeiras cultivadas por trás do parque.

Perguntei a Deus, quem eu costumava ser.
As estrelas sorriram para mim, Deus respondeu em um devaneio silencioso.

Então eu orei e adormeci .

Eu tinha um sonho
De que eu poderia voar da mais alta árvore
Eu tinha um sonho

Agora estou velha e me sentindo cinzenta. Eu não sei o que deixar para dizer sobre esta vida que estou disposta a deixar.
Eu a vivi plenamente e eu a vivi bem, há muitas histórias que eu vivi para contar. Estou pronta agora, eu estou pronta, eu estou pronta para voar das mais alta asas

Eu tinha um sonho”

* Tradução da música “Dream”, de Priscila Ahn.